• Director: José Manuel Vidal
Opinión
Oscurantismo
Oscurantismo
Os recasados estão condenados "canónicamente ao desterro" por estruturas medievais e por um sistema sem misericórdia que está legitimado a usar de "todas as liberdades sexuais", julgadas e condenadas SÓ PELOS PRÓPRIOS EM NOME DE DEUS

(Paulo Bernardino, doctor).- "Quantas pessoas ainda se interessam pela [...] fé cristã? Muitos intitulam-se cristãos, mas não se consideram fiéis da Igreja" (Hans Küng, 1992: 7).

É um paradoxo ou uma heresia, porém hoje fomos surpreendidos por duas notícias contraditórias entre si; com o tema da abstinência sexual para os recasados e a pedofilia "a la garder" para os clérigos na Igreja da Misericórdia. As incoerências são uma criatividade do Espírito e as similitudes: uma verdade da fé.

Estamos a viver uma profunda debandada do "espaço físico da Igreja", num imutável pântano e num "profundo abismo" (Sl, 50) pós-moderno sem "a capacidade geracional e sociológica" de provocar a maiêutica transpessoal de "uma nova voz para o nosso tempo" (PP, 47).

O facto acontece no tempo, mas "fora de tempo"... porém o caos, a falta de criatividade pastoral... dá-se fora do espaço da sacristia e do adro da Igreja. Todavia a Babilónia, Sodoma e Gomorra (Gn 12,1-38), acontecem, "como naturas e perfeição" - no Jardim do Éden.

Os recasados estão condenados "canónicamente ao desterro" por estruturas medievais e por um sistema sem misericórdia que está legitimado a usar de "todas as liberdades sexuais", julgadas e condenadas SÓ PELOS PRÓPRIOS EM NOME DE DEUS.