José Ramón F. de la Cigoña

Una-se a esta campanha: 90 anos de D. Pedro Casaldáliga…

"Um telefonema do Papa seria o maior presente para este lutador infatigável"

Una-se a esta campanha: 90 anos de D. Pedro Casaldáliga...
J. Ramón F. de la Cigoña

D. Pedro é o último profeta vivo. Os outros já se foram para o Reino do Pai: D. Helder Câmara, D. Evaristo Arns, D. Romero, o 'São Romero de América' como ele carinhosamente o chamava, quando ainda era interditado pela outrora poderosa Cúria vaticana

(José Ramón F. de la Cigoña).- Há uma campanha em andamento para que o Papa Francisco telefone a dom Pedro pelo seu 90º aniversário, no 16/FEV, e eu me uno cordialmente a ela.

Este `profeta do Araguaia´, dinâmico no seu ministério, amigo dos pobres e indígenas, asustadiço dos grandes e poderosos, vive agora sentado numa cadeira de rodas, silenciado pelo «irmão parkinson».

Um telefonema do Papa seria o maior presente para este lutador infatigável que um dia até fez tremer o grande João Paulo II; e um modo elegante da Igreja se reconciliar com este pobre pastor idoso que viveu corajosamente o espírito do Concílio Vaticano II.

D. Pedro é o último profeta vivo. Os outros já se foram para o Reino do Pai: D. Helder Câmara, D. Evaristo Arns, D. Romero, o ‘São Romero de América’ como ele carinhosamente o chamava, quando ainda era interditado pela outrora poderosa Cúria vaticana.

Santo, profeta, poeta e amigo dos pobres.

Sei que alguém muito próximo do Papa lhe fez este mesmo pedido: Papa telefone a D. Pedro, e eu fico feliz de que o apelo tenha chegado a Roma. Quem sabe Roma chega agora até a pequena casa de D. Pedro, em São Felix do Araguaia/MT…

Para leer otros artículos del auto, pinche aquí.

 

CONTRIBUYE CON PERIODISTA DIGITAL

QUEREMOS SEGUIR SIENDO UN MEDIO DE COMUNICACIÓN LIBRE

Buscamos personas comprometidas que nos apoyen

COLABORA
Autor

José Manuel Vidal

Periodista y teólogo, es conocido por su labor de información sobre la Iglesia Católica. Dirige Religión Digital.

Recibe nuestras noticias en tu correo

Lo más leído